Como funciona o casamento comunitário

Saiba como funciona o casamento comunitário e veja como fazer a inscrição para participar da cerimônia

Ainda que o casamento seja considerado uma das ocasiões mais comemoradas, também é razão para muita despesa: buffet, pagamento da taxa da Igreja, pagamento do cartório, convites e tudo mais.

É por isso que as cidades concedem aos munícipes a chance do casamento comunitário.

Nesse tipo de casamento, um número máximo de casais divide os gastos e isso não é somente para quem tem situação financeira mais complicada.

É comum que alguns casais não tenham a pretensão de uma super festa, mas queiram comprar uma aliança mais bonita ou viajar com mais mordomias na lua de mel. Se eles economizam usando o casamento comunitário, sobra dinheiro para esses outros planos.

Há pessoas que possuem certo preconceito com os casamentos desse tipo, achando que eles não são bonitos ou que não serão tão inesquecíveis: isso é um erro.

Muitos casamentos comunitários são belíssimos o figurino dos noivos e das noivas não é padrão: cada um pode usar o terno e o vestido que sonhou.

Também é autorizado levar convidados aos casamentos desse tipo: porém, é verdade que eles deverão estar em menor quantidade. Quanto mais casais estiverem se casando, menor será a cota de convidados para cada um.


Regras do casamento comunitário civil

Cada cidade tem as suas datas para fazer os casamentos comunitários e o cartório as informa aos noivos.

Sendo assim, é só comparecer a um e perguntar sobre a realização do casamento comunitário: o funcionário dirá a próxima data e os documentos obrigatórios para a certidão.

A respeito dos pagamentos, é possível que os noivos se casem de graça ou que exista uma boa redução do valor.

Em qualquer uma das perspectivas, economiza-se sensivelmente usando o casamento comunitário e essa foi a principal razão para que essa prática fosse instituída: para que os brasileiros tivessem a oportunidade de ter uma certidão de casamento e todos os seus direitos.

Se a cidade em questão ainda demorará muito para fazer o casamento comunitário, é uma opção procurar os outros municípios. Entretanto, isso só se aplica ao casamento religioso: no caso do civil, é obrigatório que os noivos o façam na cidade de sua residência.

Como funciona o casamento comunitário


Documentos necessários para participar do casamento comunitário

Quem vai fazer casamento comunitário tem de levar ao cartório os documentos de praxe em qualquer matrimônio.

Eles são comprovante de renda, documento de identidade, certidão de óbito do cônjuge (quando um dos noivos é viúvo), certidão de nascimento, comprovante de residência e averbação de divórcio (quando umas das partes é divorciada).

Para o casamento no civil, é obrigatório que duas testemunhas compareçam e que elas levem o seu CPF, certidão de nascimento e carteira de identidade.

Para confirmar se outro documento pessoal será necessário, é indicado falar com o tabelião.

Se o casal já tem filhos, deverão mostrar a certidão de nascimento destes. Recomenda-se levar ao cartório todas as versões originais e duas cópias para cada documento, além de ficar atento ao comprovante de residência: ele precisa ser de menos de três meses.


Casamento comunitário religioso precisa de padrinhos?

Não é necessário que se tenha padrinhos, mas é claro que os noivos poderão convidar pessoas para esse posto.

Sobre o casamento comunitário no religioso, a dinâmica é diversa, inclusive o tipo de cerimônia: igrejas evangélicas podem fazê-lo, assim como as igrejas católicas, mas associações e muito mais.

Algumas partes do casamento religioso tradicional podem ser retiradas no comunitário por causa da quantidade de pessoas.

Por exemplo, as crianças que entram com as alianças ou até a leitura individual dos votos: se foram 50 casais, por exemplo, seria demorado demais.

A decoração da Igreja tende a ser neutra a fim de que todos os participantes sejam agradados: é comum que se usem flores brancas ou amarelas.

Os lugares são dispostos de acordo com a quantidade de convidados e os noivos ficam sentados logo à frente do pastor, padre ou qualquer outra autoridade religiosa.

Como funciona o casamento comunitário


Casamento comunitário com parentes ou amigos

Algumas pessoas têm dificuldade em fazer o casamento comunitário porque gostariam que a decoração fosse mais específica, ou o buffet, mas precisam economizar.

Uma solução é reunir parentes e amigos que também queiram se casar e criar seu próprio casamento comunitário.

Suponha-se que quatro amigas estão em um relacionamento sério e querem casar.

Se concordarem, podem escolher o mesmo lugar, o mesmo ministro, o mesmo cartório e dividirem todas as despesas.

Se os documentos do cartório ficariam em R$ 164,00, o buffet cobrará R$ 1.000,00, o ministro da cerimônia cobrará R$ 100,00 e a decoração custará R$ 200,00, é possível dividir essa quantia entre os quatro casais. Cada um deles gastaria menos de R$ 500,00.

Essa é uma forma de casamento comunitário na qual os envolvidos podem escolher ativamente todas as coisas: é claro que será preciso consenso, mas será mais fácil de alcança-lo dentre pessoas conhecidas do que entre dezenas de outros casais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *